Policiais penais agora podem colocar a “Boca no Trombone”, sem medo de represálias do governo

Postado em : 02/10/2020



Inês Ferreira

 Uma campanha de proteção ao direito dos servidores, iniciada esta semana, pelo SINDCOP vai permitir que os policiais penais e demais servidores do sistema penitenciário do Estado, denuncie as irregularidades que ocorrem nas unidades. A campanha “Boca no Trombone” vai ser divulgada em todos os canais de comunicação do sindicato. Quem denunciar terá a garantia do sigilo da fonte. As denuncias poderão ser feito pelo WhatsApp (14) 99762-7130 ou imprensa@sindcop.org.br

“Recebemos muitas reclamações sobre as condições de trabalho dos servidores e também sobre as péssimas condições das unidades prisionais. Agora, queremos transformar essas reclamações em matérias jornalistas e encaminhar as denúncias para os respectivos órgãos de fiscalização”, afirmou o presidente do SINDCOP, Gilson Pimentel Barreto.

Conforme ele, os jornalistas receberão a denúncia via WhatsApp ou e-mail, que poderá vir sobre forma de textos, vídeos, fotos e áudios. O áudio e os vídeos serão descaracterizados para que os denunciantes não sejam identificados. O material coletado será trabalhado pelos jornalistas conforme a legislação exige, verificando se não trata de fake news e buscando ouvir o outro lado.

As informações também serão encaminhadas para o Departamento Jurídico para que sejam elaboradas denúncias para serem encaminhadas ao Ministério Público, OAB, Pastoral Carcerária, Corregedoria, entre outros.

“Vamos passar os sistema prisional a limpo. Os policiais penais são sempre penalizados pelo descaso do governo. No entanto, o governo não dá condições de trabalho digno para os servidores e a cada dia retira mais direitos”, disse o presidente.

Segundo ele, uma das últimas decisões da Justiça relacionada ao sistema penitenciário citou as Regras de Mandela para garantir direitos de presos.

“Nós também queremos usufruir desses direitos. Nós, policiais penais, vivemos encarcerados junto com os presos e somos obrigados a nos submeter a um ambiente de trabalho insalubre e sem segurança, contrariando não somente as regras de Mandela, mas direitos inerentes a cidadãos trabalhadores”, disse ele.

Ainda, segundo o presidente, receber, investigar, divulgar e encaminhar as denúncias do Boca de Trombone é um dever do sindicato, que entre outras funções tem a de fiscalizar o ambiente de trabalho do servidor.





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.