Reforma da Previdência: estamos em alerta!
Proposta que altera aposentadorias deve ser votada em fevereiro. SINDCOP convoca categoria a participar das mobilizações em Brasília
Postado em : 25/01/2018



Estamos em alerta! Esse é o principal recado que a classe trabalhadora pode mostrar neste momento ao governo de Michel Temer. Depois dos inúmeros ataques que ocorreram ano passado, como a reforma trabalhista, PEC do teto, terceirizações irrestritas, agora o impopular governo Temer tenta emplacar a reforma da Previdência.

Com apoio rachado de deputados e senadores, Michel Temer desistiu de votar a reforma em 2017. Precisa reunir 308 votos na Câmara dos Deputados, e para isso, junto com Rodrigo Maia, presidente da Câmara, escolheu o dia 19 de fevereiro.

Nesta data, o SINDCOP vai organizar caravanas saindo de diferentes locais do estado, em direção à Brasília. É de extrema importância a participação da categoria nessa mobilização, pois trata-se da nossa aposentadoria. É o nosso direito de se aposentar com dignidade, depois de anos e contribuição e trabalho duro.

Os agentes penitenciários já estão em destaque nessa votação. Foi graças à ação da categoria, em maio, que a tramitação da reforma foi adiada. Na ocasião, agentes do SINDCOP e de outros estados ocuparam a sala da comissão onde era votada a reforma. Com indignação, os agentes foram lutar por seus direitos e exigir respeito dos deputados.

Vale lembrar que tinha sido prometido aos agentes penitenciários a sua inclusão na regra da aposentadoria especial, o que excluiria a categoria da reforma da Previdência. Sem dar satisfações, os deputados voltaram atrás e negaram esse direito.

Agora vai ser tudo ou nada. O governo Temer joga pesado: nesta reta final vai gastar mais 50 milhões de reais em verbas de publicidade a favor da reforma. Desde 2017 o “pacote pró-reforma” já soma 150 milhões de reais, sendo mais da metade do valor direcionado para propagandas em TVs.

Conforme for acertada a data da votação, o sindicato irá organizar as viagens para a capital federal. Serão providenciados transporte e alimentação, sem nenhum custo aos filiados, além da hospedagem durante a permanência em Brasília.

O presidente do SINDCOP, Gilson Pimentel Barreto reforça que é importante a mobilização dos servidores contra esse ataque. “Nós temos que lutar para manter nossos direitos, e buscar a aposentadoria especial para os servidores penitenciários”.

Uma das últimas versões da reforma da Previdência endurece as regras de aposentadoria para servidores públicos. O tempo mínimo de contribuição passa para 25 anos, enquanto os empregados do setor privado precisariam cumprir os atuais 15 anos. Para receber o valor total do benefício, todos devem somar 40 anos de contribuição. A idade mínima para aposentadoria passa a ser de 65 anos para homens e 62 anos para mulheres.

SINDCOP se prepara pra ir até Brasília protestar contra reforma. Foto: Lucas Mendes/SINDCOP.

 





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.