SINDCOP participou do lançamento de frente parlamentar da segurança e audiência sobre privatização de presídios
Os dois eventos ocorreram em São Paulo na última quinta-feira (06)
Postado em : 07/06/2019



O SINDCOP esteve na manhã da última quinta-feira (06) participando do lançamento da Frente Parlamentar da Cidadania e da Segurança Pública, na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Convocado pelo deputado Tenente Nascimento (PSL), o encontro reuniu profissionais da segurança pública paulista, como o Comandante Geral da Polícia Militar, coronel Marcelo Vieira Sales.

Pelo sindicato estiveram no evento o presidente da entidade, Gilson Pimentel Barreto, os representantes Carlos Roberto Romacho, Carlos Piotto, Amauri Horne e José Cláudio de Souza e os filiados Julio Macario, Fabíola Castilho, Rogerio Carlos da Silva Santos e João Mangolin.

 

Plenário Paulo Kobayashi da Alesp durante lançamento da frente.

 

O lançamento da frente contou com a presença dos deputados Danilo Balas (PSL), Major Mecca (PSL) e Gil Diniz (PSL).

Coordenador da frente, o deputado Nascimento disse que se posiciona contra a proposta do governador João Doria de privatizar os presídios.

Nascimento também anunciou projetos de investimentos para a segurança pública. Uma das áreas beneficiadas será a Escola da Administração Penitenciária (EAP), via emendas encaminhadas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO).

 

Mesa do evento contou com servidores e especialistas da segurança pública e deputados.

 

Nascimento também anunciou que haverá indicação na LDO para que haja a chamada de concursados remanescentes nas carreiras de Agente de Segurança Penitenciária (ASP) e Agente de Escolta e Vigilância Penitenciária (AEVP).

O deputado ainda prometeu a indicação de verbas para o Hospital do Servidor Público do Iamspe (Instituto de Assistência Médica do Servidor Público Estadual).

Audiência pública sobre privatização

Na parte da noite o SINDCOP participou da audiência pública para discutir a privatização dos presídios paulistas.

Organizado pela Defensoria Pública de São Paulo, o evento contou com a participação de especialistas na área: Leonardo Biagioni de Lima (Núcleo Especializado de Situação Carcerária da Defensoria Pública do estado de São Paulo), Luisa Cytrynowicz (Assessora Jurídica da Pastoral Carcerária Nacional), Abdael Ambruster (Agente de Segurança Penitenciária – Policiais Antifascismo) e Fábio Pereira Campos (Frente Estadual pelo Desencarceramento/SP).

 

Evento discutiu privatização dos presídios.

 

Em sua fala de abertura do evento, Biagioni esclareceu que a Defensoria Pública considera inconstitucional a privatização de presídios.

“Entendemos que não houve discussão nem estudos técnicos, além de inconstitucional, viola várias normas e tratados”, afirmou.

Para Biagioni, “o que se quer é passar para empresários o lucro com o sofrimento humano. O Brasil tem a 3ª maior população carcerária do mundo e a 2ª maior taxa de encarceramento, então [o sistema prisional] é um mercado atrativo.

Representando o SINDCOP, Carlos Eduardo Piotto falou no evento sobre a experiência que o agente penitenciário possui para contribuir com a segurança pública.

 

 

“Qualquer agente penitenciário de São Paulo conseguiria evitar as mortes que ocorreram nos presídios do Amazonas, administrados pela empresa Umanizzare”, disse.

“Isso não tem como uma empresa privada obter. Só quem trabalha há anos tem essa experiência”, finalizou.





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.