Vacinação de policiais penais contra Covid-19 deve ser prioritária, recomenda Depen
De acordo com a resolução publicada no DOU, a vacinação policiais penais e demais servidores do sistema prisional é essencial, sob risco de afetar a segurança pública.
Postado em : 09/02/2021



Carlos Vítolo

Imprensa Sindcop

 

Uma resolução publicada no Diário Oficial da União (DOU) desta terça-feira (9), pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária, do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), recomenda a vacinação prioritária, contra a Covid-19, dos policiais penais, bem como, das pessoas privadas de liberdade, evitando qualquer espécie de postergação de prazo ou fase.

O Plano Nacional de Imunização, lançado governo federal em dezembro do ano passado, priorizou grupos de risco, membros da faixa etária de maior letalidade da infecção e públicos em situação de vulnerabilidade, entre eles, os servidores do sistema prisional, que foram incluídos apenas na quarta fase da campanha de vacinação.

De acordo com a resolução publicada no DOU, a vacinação policiais penais e demais servidores do sistema prisional é essencial, sob risco de afetar a segurança pública.

O documento também aponta que, quanto mais demorada for a vacinação no sistema prisional, maiores serão os gastos com prevenção e assistência de saúde da massa carcerária, aumentando as escoltas presos, a força de trabalho, provocando risco à segurança de servidores, presos e operações.

No Estado de São Paulo, conforme boletim fornecido pela Secretaria da Administração Penitenciária (SAP) nesta terça-feira (9), 37 servidores foram a óbito em virtude da Covid-19. Atualmente, são 132 servidores afastados com suspeita de infecção pelo novo coronavírus.

»Confira nos quadros abaixo os dados dos servidores do sistema prisional do Estado de São Paulo

 

 





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.