Vigilância Epidemiológica confirma “surto” de Covid 19, na penitenciária de Paraguaçu Paulista

Postado em : 13/11/2020



Inês Ferreira

Dos 1.446 presos da penitenciária de Paraguaçu Paulista, 212 são suspeitos de estar com a Covid 19. Segundo a jornalista Elisa Luz, assessora de imprensa da Vigilância Epidemiológica e de Assuntos da Covid da cidade, devido ao grande número de suspeitos e por eles estarem em local fechado a situação da penitenciária é tida como “surto”. “Até que todos sejam testados, os casos sintomáticos são considerados positivos”, afirmou a jornalista.

Alerta

“A situação dessa penitenciária serve de exemplo da realidade do sistema prisional paulista. Parabenizamos a Vigilância Epidemiologia daquela cidade pela seriedade que está tratando o caso. Sabemos que em muitas outras unidades a situação pode agravar, ainda mais com as notícias de que poderá ocorrer uma segunda onda de infecção do coronavirus. Por isso, somos contra as visitas presenciais. Continuar abrindo as portas das unidades para entrada de pessoas externas é transformar os presídios paulistas num verdadeiro matadouro, onde são colocadas em risco as vidas de servidores e de detentos. A SAP está promovendo uma chacina e deverá ser responsabilizada por isso”, afirmou o presidente do SINDCOP, Gilson Pimentel Barreto.

A informação sobre o número de casos “confirmados” consta na página inicial da Prefeitura de Paraguaçu Paulista. Desde a última quinta-feira dados apontam que existem  212 confirmados na penitenciária. Com base nesses dados a TV Tem de Marília divulgou a notícia, ontem. Segundo a emissora a matéria foi feita após confirmação da informação com a

Vigilância Epidemiológica da cidade.

Arte encaminhada pela Vigilância Sanitária de Paraguaçu Paulista, hoje (13)

Arte encaminhada pela Vigilância Sanitária de Paraguaçu Paulista, hoje (13)

Hoje (13) a Vigilância Epidemiológica confirmou que está havendo um surto de Covid na unidade prisional da cidade.

“Por se tratar de um surto em uma instituição de longa permanência o protocolo é realizar 25 exames e avaliar a característica Epidemiológica da situação. No caso da penitenciária de todos os coletados, 18 pessoas foram testadas positivas. No dia de hoje, 13 de novembro, temos um total de 224 notificados, sendo que 18 são positivos, 9 negativos, 3 aguardam resultados e 194 são considerados positivos por critério clínico epidemiológico (com sintomas, porém sem teste realizado)”, informou a assessoria da vigilância Epidemiológica de Paraguaçu Paulista.

Ainda segundo a assessoria, “todos os detentos que sentirem sintomas de síndrome gripal (tosse, falta de paladar, de olfato, coriza, febre, falta de ar e outros) serão monitorados. Quando a Penitenciária ficar 28 dias sem nenhum paciente com sintomas de síndrome gripal, o surto considera-se encerrado”.

SAP não responde e passa dados controversos

A assessoria de imprensa do SINDCOP entrou em contato com a SAP (Secretaria da Administração Penitenciária) para saber quais os procedimentos que seriam tomados a respeito e se seria feito testagem em massa dos detentos e servidores, mas não obteve resposta.

A SAP se limitou a informar que as visitas presenciais nessa unidade estão suspensas e não tem previsão de retorno.

A secretaria ainda enviou um comunicado com números totalmente diferentes dos da Vigilância Epidemiológica da cidade.

“A SAP informa que na Penitenciária de Paraguaçu paulista 17 presos testaram positivo para Covid-19 e estão em isolamento. Não há reeducando em hospital e outros 205 casos suspeitos sem confirmação da doença que seguem em isolamento de 30/10 até o momento. Entre servidores, 11 testaram positivo e já retomaram suas atividades por estarem curados e 5 casos suspeitos sem confirmação da enfermidade seguem afastados. A partir do surgimento do primeiro caso, um pavilhão habitacional foi destinado para quem apresentasse os sintomas. Ali, os reclusos recebem a medicação prescrita e passam a ter a temperatura e a saturação aferidas pelo menos duas vezes ao dia”, informou a SAP.

TESTAGEM

No final da tarde hoje, a SAP informou que Penitenciária de Paraguaçu Paulista está em tratativas com o Instituto Butantan para a realização da testagem em massa na unidade.





Desenvolvido e mantido por Logicomp Co.