Rua Manoel Bento da Cruz, 13-45    (14) 99748-7006    sindcop@sindcop.org.br
     
SINDICATO DOS POLICIAIS PENAIS E TRABALHADORES DO SISTEMA PENITENCIÁRIO PAULISTA
Prazo do Iamspe para novos prestadores de servi├žos em Prudente termina dia 10 e servidores reclamam falta de atendimento

 

Carlos Vítolo

Da Redação – SINDCOP

 

Termina na próxima quarta-feira (10) o prazo já prorrogado pelo Instituto de Assistência Médica do Servidor Público Estadual (Iamspe), para o credenciamento de prestadores de serviços de saúde para atendimento hospitalar em Presidente Prudente.

A princípio o prazo venceria em 29 de julho, mas um edital publicado no dia 30 prorrogou o vencimento para 10 de agosto. A reportagem do Sindcop confirmou a informação junto a assessoria de imprensa do Iamspe.

Os servidores de Presidente e região, conforme reclamações feitas junto ao Sindcop, têm encontrado dificuldades em passar por consultas em virtude de que o atendimento do convênio do Iamspe com a Santa Casa ainda não foi retomado.

Nesta sexta-feira (5), a reportagem do Sindcop manteve contato com a Santa Casa de Prudente solicitando uma nota sobre o motivo de o atendimento ainda não ter sido retomado, no entanto, até o fechamento da reportagem não houve resposta.

Em 20 de maio, o governador Rodrigo Garcia (PSDB), esteve em Presidente Prudente, onde, em entrevista coletiva acompanhada pela reportagem do Sindcop no Centro Cultural Matarazzo, anunciou a retomada do atendimento aos servidores públicos pela Santa Casa de Prudente, por meio do convênio com o Iamspe. “A gente conseguiu um entendimento com a Santa Casa de Prudente”, disse Garcia na oportunidade. No entanto, até o momento, o atendimento ainda não foi retomado.

» Governador em Presidente Prudente fala sobre atendimento do Iamspe na Santa Casa

Na época, a reportagem do Sindcop conversou, por meio de nota, com a Santa Casa de Prudente, que confirmou que houve o encerramento do contrato com o instituto em 28 de fevereiro de 2022, e que a decisão não foi tomada de forma repentina, com tempo para que o convênio pudesse se programar. O encerramento do contrato se deu devido às partes não chegarem a um termo comum no tocante as tabelas de pagamentos dos procedimentos.

A Diretora de Assuntos de Saúde do Sindcop, Maria Alice Acosta, disse que “o entrave das questões de valores continua, apesar da tabela de pagamentos por serviços do Iamspe ter sido atualizada. A Santa Casa quer fazer uma série de imposições para contratação e uma tabela diferenciada para o estabelecimento. Sabemos que é inviável para o Instituto”.

Conforme a diretora, a demora também se perpetua porque o hospital quer um investimento financeiro do Iamspe em reformas, que não cabe ao instituto. “Os atendimentos da Santa Casa são preenchidos em 98% com outros convênios de saúde e está oferecendo os 2% restantes ao Iamspe, ou seja, o interesse é exclusivamente financeiro, não há um olhar compromissado com os usuários. Nosso compromisso é com a saúde dos usuários, e defendemos que este também deva ser o compromisso do Iamspe, delongando as negociações”, explicou Acosta.

O presidente do Sindcop, Gilson Pimentel Barreto, destacou que os valores praticados pelo Iamspe estão abaixo de outros planos de saúde que contratam os leitos e que praticam outras tabelas de valores. “O Iamspe está muito abaixo, portanto, não há interessa no credenciamento. O próprio Iamspe afirma que abriu editais para novos credenciamentos, mas não houve inscritos, não houve interesse”, disse Barreto.

Ele explica ainda que, na própria Constituição do Iamspe diz que ele seria mantido com 2% de contribuição dos servidores e 2% do patronato, no caso, o Estado. “No entanto, o Estado nunca fez a parte dele. O Estado faz um aporte, que não corresponde com o valor que deveria fazer, mas no entanto o Estado é o gestor do dinheiro, ou seja, o servidor entra com a maior parte, mas não faz a gestão do dinheiro. O servidor é o dono do plano de saúde e não consegue nem auditoria. A gente tem que brigar por auditoria do dinheiro nosso”, disse. “O Estado tem que contratar alguém em Prudente, tem que renovar a tabela de valores, caso contrário não haverá hospitais querendo se credenciar mesmo”, finalizou o presidente do Sindcop.

Contato
Rua Manoel Bento da Cruz, 13-45
(14) 99748-7006
sindcop@sindcop.org.br
© 2022 - Sindcop - Todos os Direitos Reservados.